Sobre o autor




Sou José Manuel Barbosa, nascido em Ourense, cidade da Galiza, em Fevereiro do 1963, galego portanto de pais, avôs e bisavôs...e daí para atrás...,  Diplomado em Professorado de Ensino Geral Básico pela Escola Universitária de Formação do Professorado de Ensino Geral Básico da Universidade de Santiago de Compostela, na especialidade em Ciências Humanas no ano 1984. Fiz estudos de história na UNED de Ourense. Trabalho como Professor de Educação Física.

Desenvolvo as tarefas de professor de Galego e Educação Física, desde 1992, como funcionário da Junta de Galiza, fui professor nos cursos de Língua, Literatura, História, Arte e Cultura Galegas organizados pela AGAL em parceria com a Universidade de Vigo durante os anos 80 e 90. Participei em Cursos e Simposia, em Mesas Redondas e “Auditions”, em Seminários e Congressos e outras atividades organizados pela AGAL junto com as Universidades Galegas.

Pertença a Sociedades Profissionais e Académicas







No âmbito da Escrita


Poesia



  • 18 (Dezaoito) livro coletivo: “Maria de Velhe” (Pag 23-34)
  • Alén do Silencio. Livro Coletivo: (Pág 30)
  • Na Revista AGÁLIA:
    • Amor Marinho (nº 25)
    • Identidades (nº 25)
    • Trabalho inacabado (nº 37a)


Artigos e Opinião



  • No Jornal “La Región”
    • O enxergar o galeguismo (16/9/80)
    • O Magosto (11/11/80)
    • O Marechal Pedro Pardo de Cela (21/12/80)
    • As cousas feas (25/1/81)
    • A espranza celta (12/3/81)
    • A derradeira noite de San Xoan (25/6/81)
    • Encol do vello misterio dos megalitos (26/8/81)
    • Galiza: por Europa cara o mundo (19/11/81)
    • Cincinnato, un dictador bo
    • Esquecida África
    • 25 de Sant-Iago
    • Inventos do pasado 17/5/8?)
    • Unha bomba atómica en Sibéria (7/10/82)
    • Sobre a desintegraçom (15/2/86)
    • Os dia da semana em galego (11/12/86)
    • Samain, Halloween e Magusto tudo é um (11/11/97)
    • Sobre o natalício de Jesus de Nazareth I (11/1/98)
    • Sobre o natalício de Jesus de Nazareth II (12/1/98)
    • Quem foi o primeiro descobridor (20/11/07)

  • Na Revista AGÁLIA:

    • Carta aberta a um inesquecível Scórpio (nº 29)
    • Dialectoloxia da língua galega”: um contributo isolacionista ao reintegracionismo linguístico. (Recensão. nº 35)
    • A desintegraçom do Corso do Italiano Comum (nº 37b)
    • A que llamamos España” ou a sinceridade dum imperialismo. (nº 44b)
    • Um contributo ao diálogo e à concórdia normativa (nº 47c)








    • O fracasso do imperialismo fracassado
    • Uma Língua para dominá-los a todos
    • Sobre uma possível reforma territorial
    • Desperta do teu sono que já che vão sendo horas...
    • Um mistério de interesse para o mundo céltico e atlântico
    • O nome do Brasil e o mundo céltico
    • O centrismo oscilante
    • Tem pátria o capital
    • Liberdade ou Legalidade?
    • Tipical Spanish e outras lindezas
    • O que a verdade esconde
    • A mudança de paradigma e a recuperação da memória histórica na Galiza
    • Alguns aspectos da pré-história da Língua
    • Por uma hora galega
    • Treinar e adestrar ou a imposição da ignorância
    • Uma experiência docente pró-reintegracionista
    • Os políticos, os clássicos e o reintegracionismo
    • A nossa Língua nas instituições europeias
    • O nosso idioma na Oceânia
    • Há muita fome no mundo
    • O galego já é oficial na União Europeia
    • O desrespeito ao património galego
    • Todos os terrorismos são delinquência.
    • Casos de reintegracionismo na Europa: O caso moldavo-romeno
    • O caso dano-norueguês: Entre o isolacionismo e o reintegracionismo
    • Uma crítica pontual a respeito da historiografia castelhanista
    • O caso luxemburguês
    • Sobre a Montanha Mágica de Calros Solla
    • Um debate vivo (primeira e segunda parte)
    • Há parentesco etimológicos entre Courel, Quiroga e Carioca?
    • O cômputo das têmporas
    • O tratamento do universalismo e a endofobia nos clássicos.
    • A Capela Sixtina da Pátria Galega.
    • A vontade reintegradora dos clássicos
    • Universidade v/s Pluriversidade
    • Afonso VI chorou em galego
    • Castelão censurado ontem e hoje
    • A gaita: O primeiro instrumento europeu no Brasil
    • O direito de autodeterminação não é ilegal na Espanha
    • Sobre o Paradigma
    • Ignorância e Poder
    • História da Língua (Etapa de formação)
    • História da Língua: Os inícios. Cantigas e trovadores
    • História da Língua: Galiza e Portugal, caminhos separados
    • O reintegracionismo e os clássicos galeguistas
    • A Língua na Idade Moderna
    • Macrolínguas e microlínguas
    • História da Língua: Séculos XIX e XX até 1950
    • De delinquentes linguísticos e a logopedia necessária
    • Uma visita à capital do Império
    • O que um brasileiro deve saber sobre a Galiza e o galego
    • O auto-ódio, a ignorância e o não saber por onde andamos
    • Catalunha-Valência e Galiza-Portugal.
    • A manipulação do paradigma: Árabes ou celtas?
    • O Sangue da Galiza
    • Somos os perdedores
    • Caradawc, Caráunio, Corocota...e outros nomes de resistentes celtas
    • Sobrevivência da roda das festividades pagãs na Galiza (primeira e segunda parte)
    • As Etimologias
    • Entrevista ao Manuel Garcia do M.E.L.: “Eu falei galego no Parlamento Europeu em 1994”
    • Anumão, a velha moura da montanha.


Estudos



  • Na AGÁLIA:
    • Galiza e Portugal: Umha ou duas naçons? (nº 32)
    • Castelão no céu e na terra. (nº 51)
    • A História dum Imperialismo fracassado (nº 62)

  • Estudos no Boletim da Academia Galega da Língua Portuguesa 

    1. - Alguns aspectos sobre a pré-história da língua. Número 3. 2010. Págs 151-164.
    2. A Mudança de Paradigma e a recuperação da memória histórica da Galiza. Número 5. 2012. Pag 99-115. 
    3. O Paradigma galego na História Medieval. 
    4. Entrevista a Anselmo Lopez Carreira. Número 7. 2014. Pags: 61-80 Estudo-Recensao do livro "Galicia y los gallegos en las fuentes árabes medievales" (em preparação).
     
  • Recensões no Boletim da Academia Galega da Língua Portuguesa 
     


Publicações



    • “Curso prático de Galego”. Ed. AGAL 1999
    • “Âmago/Mágoa” Ed. Baía. Em parceria com Roi Brâs. 2002
    • “Bandeiras da Galiza”. Ed. AGAL. 2006/
    • “Atlas Histórico da Galiza” Ed. Edições da Galiza. Polifonia. 2008
    • “Bandeiras da Galiza” 2ª edição. Através Editora. 2011
    • 18 (Dezaoito) livro coletivo: “Maria de Velhe” (Pag 23-34). 2011
    • Alén do Silencio. Livro Coletivo: (Pág 30). 2014


Narrativa



  • Contos do meu avô: Fuco de Temes (AGÁLIA 39)
  • Contos do meu avô: Zepe de Cela-Guantes (AGÁLIA 44a)
  • Maria de Velhe (18 Dezaoito)



Video-Entrevistas

    • Vídeo-entrevista a Isabel Alonso, guardiã de Santa Comba de Bande
    • Entrevista à Professora Maria de Fátima Figueiredo
    • Entrevista a Professora Doutora Blanca Garcia Fernández-Albalat
    • Entrevista ao Padre Fontes
    • Entrevista ao Bruxo Queimam e a Laura de “Troula Animación”
    • Entrevista a Anselmo Lopez Carreira
    • Entrevista ao “Capitán Gosende” (em preparação)


Organização de roteiros históricos


  • Roteiro pelo Património (Cela Nova, Bande, Lóvios, Mata de Albergaria)
  • Visita do DTS à Galiza Pétrea
  • Roteiro pelas origens de Ourense
  • Roteiro pelo Lugo céltico e pré-romano
  • Roteiro pela Braga Sueva
  • Roteiro por Ourense (Magusto)
  • Roteiro por Chaves
  • Roteiro a Anumão

Fiz parte do Conselho da AGAL várias vezes. Fui coordenador local e regional de Ourense desta associação e até pouco tempo era coordenador nacional.
Tenho organizado as Jornadas da Cultura Galega dentro da qual se organizaram as Jornadas de História da Galiza; Representações de obras teatrais como "Quanto vales tu, meu tentador" de Joel R. Gomes.

Também se me deu por participar num programa de Rádio chamado "Falares sem Cancelas" de Rádio Alhariz em 2004.

A parte de publicar livros também me dedico a fazer poesia e por isso faço parte do Clube d@s poetas viv@s com Artur Alonso Novelhe, Concha Rousia, Belém de Andrade, Nolim Gonçalez, José Alberte Corral e Servando Barreiro.  Com este grupo levo percorrido quase toda a nossa geografia nacional galega desde 2007 repartindo poemas e música e pela minha vocação de historiador e celtista pertenço desde a sua fundação ao IGEC (Instituto Galego de Estudos Celtas) do qual fui Diretor Administrativo. Do mesmo jeito e pelo meu vínculo com o mundo linguístico galego-português também fiz parte do MIL (Movimento Internacional Lusófono) do qual fui membro do Conselho Consultivo.

Desde 2008 sou membro de número de AGLP (Academia Galega da Língua Portuguesa)

Foi da nossa mão a organização das I Jornadas da Língua galego-portuguesa em maio de 2012, igualmente as II Jornadas da Língua galego-portuguesa que celebramos também em maio de 2013 e em maio de 2014 as III Jornadas da Língua galego-portuguesa.Nestes momentos estamos a preparar as IV Jornadas da Língua galego-portuguesa a celebrar em maio de 2015

Nesta altura estou preparando mais cousas que aguardo vejam a luz.

Beijocas

 

Foto feita na estação invernal de Cabeça de Maceda (Comarca de Trives) 
Março de 2011

Blogue Protegido

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...